Segunda, 25 de Maio de 2020

MEIO AMBIENTE

Representantes do estado apresentam cadeias produtivas da biodiversidade do Tocantins em evento em Madri

Planejamento estratégico da Amazônia Legal também foi divulgado, com metas de redução do desmatamento ilegal entre 80% e 100%

Divulgação/Governo do Tocantins
post


11 dezembro, 2019 às 13:26

No Amazon-Madri, evento paralelo à Conferência das Partes da Convenção Quadro das Nações Unidas para Mudanças Climáticas (COP 25), representantes do governo do Tocantins apresentaram painéis para o compartilhamento de informações sobre as políticas ambientais e o setor produtivo do estado, além de possibilitarem o contato com o mercado internacional de serviços ambientais. 

No painel de Cadeias Produtivas da Biodiversidade, o vice-governador do Tocantins, Wanderlei Barbosa, destacou o potencial do capim dourado, buriti, babaçu, baru, pequi, biojoias, além da aquicultura. 

Segundo Barbosa, o evento foi uma oportunidade de mostrar a forma como o estado conduz a sua política ambiental e o setor produtivo sem agredir o meio ambiente e sem aumentar a emissão de gases. "Esse evento, além de proporcionar a busca por parcerias para financiamento de projetos dos estados da Amazônia Brasileira, nós tivemos a oportunidade de falar do nosso estado, e aqui citei o que temos de melhor: o Jalapão, o Parque do Cantão, dos recursos hídricos e da nossa biodiversidade, um momento de mostrar para o mundo a riqueza do nosso estado e as políticas que desenvolvemos no Tocantins", pontuou. 

O secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), Renato Jayme, no painel sobre as perspectivas e os compromissos de governo para o desenvolvimento de baixas emissões na Amazônia, ressaltou que houve uma redução no desmatamento ilegal dos dois biomas presentes no estado em relação ao último ano - Cerrado (-10%) e Amazônia (-16%)-, sendo que a queda no bioma amazônico foi de 87% nos últimos 15 anos. Ele defende que a redução se deu graças à política ambiental implementada no estado e destacou que há um Projeto de Lei na Casa Civil que tem o objetivo de regulamentar o mercado de ativos ambientais. 

Jayme também explanou sobre o programa Pátria Amada Mirim (PAM) e a Estratégia Tocantins 20-40. "O PAM é um programa socioambiental que promove a inclusão social de 25 mil crianças e adolescentes através de atividades da educação ambiental, que prevê a produção de 6 milhões de mudas e restauração de 12 mil hectares ao longo de três anos. Já a Estratégia Tocantins 20-40 irá delinear o desenvolvimento de baixas emissões no Estado para os próximos 20 anos, baseada em 4 eixos: econômico, social, ambiental e infraestrutura". 

No evento também foi apresentado o Planejamento Estratégico do Consórcio Interestadual da Amazônia Legal 2019-2030, que tem como uma das metas a redução do desmatamento ilegal na região da Amazônia entre 80% e 100%. Para a consolidação desse planejamento, foram assinados dois documentos: o Memorando de Entendimento de apoio às ações do Consórcio, firmado entre o governo da França e o presidente Waldez Góes, e acordo de cooperação entre Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio) e todos os estados da Consórcio Interestadual da Amazônia Legal.