Segunda, 15 de Julho de 2024

Movimento Pela Vida começa nesta sexta, 28, e vai oferecer palestras, mesas redondas e rodas de conversa gratuitas em Taquaruçu

O evento ocorre de 28 a 30 de junho na Escola Municipal Crispim Pereira Alencar e conta com mais de 100 atividades.

Foto: Divulgação
post
Jairo Faria/Movimento Pela Vida

28 junho, 2024 às 12:50

Na programação da 23ª edição do Movimento Pela Vida, especialistas e outros multiplicadores debatem e compartilham experiências sobre temas atuais, por meio de atividades variadas. São 10 palestras, duas mesas redondas e duas rodas de conversa, que serão realizadas gratuitamente nas manhãs dos dias 29 e 30 de junho na Escola Municipal Crispim Alencar, em Taquaruçu.

 

Os temas das palestras vão desde cuidados com a saúde, passando pela preservação do meio ambiente e o uso de medicinas da natureza, até as diversas formas de contato com a espiritualidade e o cultivo de hábitos saudáveis. No dia 29 de junho às 9h, por exemplo, a jornalista e influenciadora digital Caroline Apple, que vem de São Paulo pela primeira vez para participar do evento, traz o debate sobre o uso da ayahuasca em contexto urbano. Segundo a palestrante, o objetivo da palestra é trazer um olhar sobre as oportunidades e os desafios do uso em larga escala e em ambientes urbanos dessa medicina da floresta usada ancestralmente em ritos de povos originários. “Eu não vou falar daquilo que não me compete: a medicina é uma medicina tradicional indígena e quem vai falar sobre ela em si são os indígenas. Agora, o que a gente tem feito com ela, nós não indígenas, é de responsabilidade nossa, então a gente tem que conversar sim”, ressalta.

 

Para Caroline, é importante que esse debate seja colocado na sociedade, já que os diferentes pontos de vista sobre a questão podem trazer harmonia por meio da discordância. “A gente tem um desafio que pode nos levar às alturas, que é a convivência com a diferença e o estabelecimento da harmonia, independente de qualquer coisa. Porque harmonia não significa concordar, harmonia significa muitas vezes concordar e discordar com respeito”, explica ela.

 

A utilização de medicinas da natureza em contexto urbano também será assunto de uma mesa redonda sobre o uso da cannabis para fins medicinais. O debate, que ocorre às 11h do domingo (30), contará com a presença de especialistas da saúde e do direito. A outra mesa redonda prevista na programação do Movimento Pela Vida será realizada no sábado (29) às 11h e tratará da importância da participação das comunidades afetadas pelas mudanças climáticas em debates sobre o tema. A atividade é organizada pelo curso de Engenharia Ambiental da UFT e pelo Conselho Regional de Biologia da 4ª região, e contará com a presença de líderes comunitários ligados à causa ambiental. “Vamos ouvir as vozes das comunidades do Tocantins, para propor que cada um de nós e todos juntes lutemos para que todes possamos ter a justa proteção contra as dificuldades climáticas que estão por vir”, ressalta a professora da UFT Paula Benevides, mediadora da mesa.

 

Duas rodas de conversa sobre temas importantes para a sociedade também serão realizadas. Essas atividades permitirão que os participantes compartilhem suas vivências e ideias sobre temas específicos. No sábado (29), às 11h, o debate será com pais de filhos autistas, na roda coordenada pelos pediatras e terapeutas Jussara Marques Sita e Neivan Roberto Sita. “A roda de conversa contribui para os pais verem que não estão sozinhos, a dificuldade deles é também de outros pais e assim estaremos abertos ao acolhimento e mostrando que o dia-a-dia pode ser um pouco mais fácil”, explica Jussara.

 

Já no domingo (30), às 11h, a roda de conversa será coordenada pelo grupo de pesquisa em Contranarrativas, do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFT. A atividade reunirá pessoas interessadas em debater sobre “Contranarrativas em Defesa do Cerrado”. De acordo com Ana Claudia Cardoso, uma das organizadoras da atividade, o debate pretende unir militantes e pessoas interessadas de vários perfis para discutir maneiras de preservar o cerrado a partir de ações concretas. “A ideia é trazer essa importância do Cerrado e fazer um movimento de militância mesmo, para despertar a conscientização das pessoas”, afirma.

 

A programação da 23ª edição do MPV está disponível clicando aqui e também no perfil do Instagram da iniciativa (@movimento.pela.vida). O tema deste ano é “Cuidar de mim, cuidar de nós, cuidar da Terra”.

 

Programação de palestras, mesas redondas e rodas de conversa no Movimento Pela Vida 2024

 

29/06

9h - Palestra Caroline Apple - “Ayahuasca em contexto urbano”

9h - Palestra Carlos Campos - “O que o meu sistema nervoso tem a ver com tudo isso?”

11h - Mesa Redonda “Novos caminhos em tempos de mudanças climáticas: vozes da comunidade”

11h - Roda de Conversa com pais de filhos autistas

 

30/06

9h - Palestra Fernando Schiavini - “Hábitos cotidianos para uma vida saudável”

9h - Palestra Jocicleia Chaves - “Cuidados com a saúde na visão da Ayurveda”

9h - Palestra Aliny Ruvieri - “Descomplicando as finanças: como planejar e organizar o seu dinheiro”

11h - Roda de Conversa - “Contranarrativas em defesa do Cerrado”

11h - Palestra Clotilde Rosanova - “Equilibrando seus hormônios para uma vida mais saudável e equilibrada com florais quânticos”

11h - Mesa Redonda - “Maconha: um remédio para você?”

11h - Palestra Eliane Mendonça - “Ufologia e Espiritualidade”

11h - Palestra Maria Shirley Inácio - “Astrologia na civilização suméria e na filosofia védica”

11h - Palestra Kaique Hilário - “Caminho para o bem estar com Yoga e Alimentação Natural”

11h - Palestra Adriana Ferraz - “Voz e Comunicação Assertiva”

 

Sobre o Movimento Pela Vida

 

Criado há 24 anos, o Movimento Pela Vida é um coletivo integrado por pessoas de formações e interesses diversos, que atuam no sentido da celebração da vida em seus vários aspectos, como a saúde física, mental e espiritual das pessoas; as relações sociais mais harmoniosas e solidárias; o respeito à diversidade cultural e religiosa; na preservação ao meio ambiente; e nas iniciativas de inclusão social.

 

O MPV é uma frente voluntária de pessoas, entidades civis, empresas privadas e órgãos públicos mobilizados em prol de uma sociedade mais justa e solidária, dedicada ao bem comum e ao desenvolvimento sustentável.

 

Em 22 edições, já foram realizadas cerca de 3.500 atividades (uma média de 170 atividades por edição) e com um público estimado de 25 mil pessoas em atividades presenciais. Em 2020, quando o movimento aconteceu online, participaram cerca de 14 mil espectadores.

 

Parceiros Movimento Pela Vida 2024

 

Atlética GrevexBoleto, Associação de Preservação Ambiental e Valorização da Vida (ECOTERRA), Associação de Cannabis Medicinal do Estado do Tocantins (ToAnanda), Bananas Tocantins, Conselho Regional de Biologia da 4ª região, Escola Gaia de Educação  Ambiental  e xamanismo, Escola Municipal Crispim Pereira Alencar, Instituto cultural e ambiental tocantinense, Loja Quavi, Secretaria Municipal de Educação de Palmas, Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial  do Tocantins (Senac-TO), Sociedade Teosófica e Universidade Estadual do Tocantins (UNITINS).