Domingo, 24 de Outubro de 2021

Tradição

Ação incentiva preservação das tradições de Monte do Carmo e comercialização de produtos locais

Com apoio da Adetuc, por meio de edital, projeto Mestra Didi - Entre Linhas e Sabores será executado ao longo do ano

Foto: Reprodução
post


03 agosto, 2021 às 19:32

Distante 95 km de Palmas e fundada em 1746, em função das minas de ouro existentes na região, Monte do Carmo figura entre as mais antigas cidades históricas do Tocantins, carregando consigo tradições festivas, gastronômicas e arquitetônicas, com forte influência portuguesa e africana. Com o objetivo de gerar trabalho e renda para os membros da Associação Cultural e Religiosa dos Foliões de Monte do Carmo - seriamente prejudicados pela suspensão dos eventos tradicionais em função da pandemia de Covid-19 -, está em andamento o projeto Mestra Didi -  Entre Linhas e Sabores.

O projeto, cujo nome faz homenagem póstuma a Sebastiana Amaral, boleira e guardiã por décadas dos saberes culturais de Monte do Carmo e conhecida por todos como tia Didi, é um dos aprovados pelo edital voltado ao Patrimônio Material e Imaterial, lançado pela Agência do Desenvolvimento do Turismo, Cultura e Economia Criativa (Adetuc), com recursos da Lei Aldir Blanc, para reduzir os impactos financeiros da Covid-19.

Segundo os responsáveis por sua condução, a ação inclui aquisição de maquinários e materiais para a produção de bolos e licores tradicionais dos festejos locais, visando a venda direta, além de artigos têxteis, incluindo 36 figurinos para serem doados aos grupos de Taeiras, Congo, Tambor e Suça. Também será produzido material impresso, virtual e audiovisual de divulgação dos produtos, e realizadas ações de formação e incentivo ao empreendedorismo entre os jovens do município.

Em âmbito cultural, a proposta apresenta como contrapartida social o amplo acesso ao conhecimento que envolve um dos maiores registros culturais estaduais que é a Festa de Nossa Senhora do Rosário, perpetuada em Monte do Carmo há 200 anos. Conforme o projeto, a ideia é proporcionar a descentralização cultural sempre em consideração ao interesse da comunidade e proporcionar novos rumos, sejam sociais ou econômicos, que visem a valorização do fazedor de cultura local.

Toda a execução do projeto está prevista ocorrer em 2021, gerando entorno de 20 empregos diretos e indiretos para moradores da localidade.

“O fortalecimento e difusão das tradições tocantinenses é uma das missões da Adetuc e conta com reconhecimento do governador Mauro Carlesse”, afirma o presidente da Pasta, Jairo Mariano, ressaltando a importante herança cultural dos municípios nascidos no Ciclo do Ouro, no antigo norte goiano.