Terça, 20 de Abril de 2021

Quarta Gloriosa

Quarta Gloriosa: Vandana Shiva - Sementes da Esperança

Por Glória Pires, Atriz e Empreendedora

Foto: Reprodução
post


24 março, 2021 às 10:26

Salve, Glorioses. Ouvir a mestre e doutora Vandana Shiva discorrendo sobre a vida é como estar sentada ao pé das avós, as sábias anciãs. Nascida em em 1952 na cidade de Dehradun, ela nos conta que viveu sua infância em uma Índia “onde a água corria livre” e a cada poucos quilômetros era possível encontrar uma fonte de água limpa para beber. Hoje, os rios estão morrendo e todo o mundo sofre com a crise de abastecimento. Para Vandana, ao se afastar da terra, investindo na indústria, o homem se desconectou da natureza. No decorrer dessa prática, deixou de ver a terra como nossa subsistência, passando a vê-la como um negócio. Os impactos desse movimento tem afetado todo o mundo.

A filósofa, física e ecofeminista Vandana Shiva estudou Física na Universidade Punjab, tem mestrado em Filosofia da Ciência na Universidade de Guelph, Canadá, e recebeu seu PhD em Filosofia da Física pela Universidade de Western, Ontario, em 84. A Índia vivia o auge de sua Revolução Verde, nascida nos Estados Unidos décadas antes, trazendo a tecnologia das “novas sementes” (os transgênicos), causando o desmatamento de florestas nativas para plantio, o uso excessivo de água, a poluição causada pelos agrotóxicos, entre outras questões.

Nessa mesma época, o país sofreu com o Desastre de Bhopal, um vazamento de gás em uma fábrica de pesticidas que contaminou milhares de pessoas.  Foi quando Vandana decidiu estacionar a carreira acadêmica e fundou a Navdanya, uma ONG de proteção às sementes nativas e aos pequenos agricultores que, não podendo cultivar suas sementes, perdem sua forma de vida e seu conhecimento – a agrofloresta, onde as mais diversas sementes crescem juntas. Desagradando os interesses das grandes corporações que chegavam em seu país, ela criou 80 bancos de sementes comunitários na Índia.

Vandana Shiva escreveu mais de 20 livros e foi incluída no 00, pelo jornal britânico The Guardian. Com sua formação ímpar e prêmios como o Sydney da Paz em 2010, Vandana Shiva é duramente combatida pelas grandes empresas que fortalecem o monopólio de terra e sementes mundo afora, já que seu discurso evidencia o perverso ciclo vicioso em que estamos enredados: desmatamento para implantar a monocultura; o uso de sementes modificadas e os pesticidas, contaminando o solo e por consequência os rios, afetando toda a biodiversidade. Em pouco tempo, os recursos acabam. Para que haja soberania alimentar é preciso superar o que ela chama de “apartheid ecológico”, lembrando que “tudo na vida é, primeiramente, uma semente”.

Vandana Shiva esteve no Brasil para a Conferência Fronteiras do Pensamento e concedeu uma entrevista especial. Confira aqui.

Um beijo e até a próxima Quarta Gloriosa.